PM ENCONTRA DEZENAS DE IPHONES ROUBADOS E DETÉM EMPRESÁRIO E IRMÃO POR RECEPTAÇÃO

Um empresário e o irmão dele foram detidos nesta segunda-feira (23), em Natal, suspeitos de integrar uma quadrilha especializada em roubo de iPhones, segundo a Polícia Militar.

Dezenas de aparelhos e mais de 100 carcaças de smartphones exclusivamente da marca Apple foram apreendidos na casa deles na capital potiguar.
Os crimes foram descobertos pela Polícia Militar depois do furto do iPhone de um empresário em uma festa em Recife. O celular da vítima, de 41 anos, estava dentro da bolsa da esposa dele e desapareceu.
Dias depois, o localizador do aparelho apontou que o celular estava em uma casa no bairro Nazaré, na Zona Oeste de Natal. A vítima, então, resolveu acionar a PM do Rio Grande do Norte.
Quando a PM chegou à casa dos dois irmãos, no bairro Nazaré, encontrou centenas de aparelhos celulares - todos da mesma marca.
Um dos detidos tem 31 anos e é empresário: tem lojas de acessórios para celular na Cidade Alta e em um shopping da capital potiguar, segundo a PM. O outro homem, que é irmão dele, tem 25 anos.
Segundo a PM, o localizador levou as viaturas até uma casa de alto padrão. Inicialmente, a equipe pediu permissão para entrar no imóvel imaginando que o iPhone procurado tinha caído no quintal, no entanto, encontrou vários aparelhos no imóvel.

Todo o material foi levado para a Central de Flagrantes da Polícia Civil, onde foram contabilizadas 139 carcaças e 38 iPhones inteiros, além de dois tablets e 3 laptops - todos da mesma marca.
Parte dos celulares apreendidos na ação em Natal estão registrados para clientes de outros estados. Segundo a Polícia Civil, os irmãos presos vão responder pela receptação dos aparelhos.
"O material estava dentro de um quarto. Eles têm lojas e trabalham nesse processo: as quadrilhas do Nordeste são conectadas, vão para grandes eventos com intuito de roubar esses aparelhos. Quando chegam a Natal, 'matam' os aparelhos e montam na carcaça de outros", afirmou um dos sargentos envolvidos na ação, que pediu para não ser identificado.
Os aparelhos apreendidos vão ser transferidos para a 8ª Delegacia da Polícia Civil, que deverá ser procurada por possíveis vítimas. g1rn

whatsapp