DENÚNCIA GRAVE: SECRETÁRIA DE EDUCAÇÃO DE PARAÚ ESTARIA COAGINDO PAÍS DE ALUNOS A MUDAR OS FILHOS DE ESCOLA

Da redação - Assú Notícia: A reportagem do ASSÚ NOTÍCIA, recebeu de alguns pais do município de Paraú, uma denúncia grave, segundo eles, a secretária de educação daquele município estaria usando do cargo para coagir e até ameaçar alguns pais de alunos do município, especialmente àqueles que tem contrato ou algum vínculo empregatício com a municipalidade parauense para que transfiram seus filhos da Escola Estadual Luiz Gondim, para a escola do município Padre Amaro.

A qualidade do ensino da rede municipal de Paraú (Escola Municipal Padre Amaro) já não é a mesma de tempos pretérito, por este motivo, o município vem perdendo alunos para a Escola Estadual Luiz Gondim, escola que tem compromisso com o ensino público de qualidade, bem superior ao que oferece a Escola Padre Amaro.

Motivo este que vem despertando na secretária de educação de Paraú um certo desespero, causado pela incompetência e que agora parte para o possível cometimento do crime de coação (provocar constrangimento em outrem, ainda com a intenção de adquirir determinado objetivo sem a vontade da pessoa coagida), em desfavor de país de alunos que ousarem em buscar uma educação de qualidade melhor para seus filhos.

Com este movimento, a secretária Vanda Aquino pode estar cometendo crime de coação e que o @mprn_oficial precisa tomar conhecimento e investigar o que de fato faz a atual secretária de educação naquele município, não só infringindo os art. 151 ao 155 do código de processo civil, e como tão bem fundamenta os  art. 22 e o 146 do código penal brasileiro.

Como prova da falta de credibilidade da própria gestão da Secretária Vanda Aquino é que seu filho não é matriculado na própria rede municipal que ela é gestora. Enquanto coage pais a matricular os filhos na rede municipal de Paraú, oferece a seu filho uma  educação na rede privada no município de Assú. Uma grande contradição!

O município de Paraú tem como modelo de governança, a incompetência, a educação está sucateada, desvaloriza os professores, salários parcelados, falta de merenda, retardo no início das aulas. 

Apresenta-se à margem da lei, não é bom esquecer que já aconteceu no município de Paraú duas operações do MP/GAECO. A última em 05/05/2021, resultando em prisões (o marido da prefeita dentre elas) e apreensão de um grande volume de documentos em diversas secretarias do município.


whatsapp