POR CIÚMES, HOMEM DE PARAÚ TENTA MATAR OUTRO COM GOLPES DE FACA NA VAQUEJADA DE TRIUNFO POTIGUAR

Da redação - Assú Notícia:
Uma ocorrência foi registrada nas primeiras horas deste domingo, 11 de Julho de 2021, num evento que estava acontecendo na cidade de Triunfo Potiguar, no Oeste do Rio Grande do Norte. A reportagem do ASSÚ NOTÍCIA apurou informações sobre os fatos acontecidos durante a vaquejada que estava acontecendo no Parque de Bras, as margens da RN-233.

Segundo informações, um homem identificado como Flávio Ricardo Soares de Araújo, conhecido por Ricardo, de 35 anos, de Paraú, estava no evento e visualizou sua ex-companheira em uma mesa conversando com a pessoa de José Edson Rodrigues Saldanha, de 38 anos, os dois estavam também na vaquejada.

Observando toda a cena, Flavio Ricardo, estava armado com uma faca e foi em direção a mesa onde estava a ex-companheira e José Edson, e sem falar absolutamente nada, Flávio Ricardo, sacou a faca e desferiu dois a três golpes contra José Edson, que foi atingido no ombro e região do tórax. A fúria de Flávio Ricardo era tão grande, que um dos golpes, ele acertou na própria perna, sendo considerado um golpe muito grave.

Os dois, vítima e acusado foram socorridos para o centro de saúde de Triunfo Potiguar e depois transferidos para o Hospital Tarcísio Maia em Mossoró, e segundo o médico de plantão em Triunfo, a situação de Flávio Ricardo, é muito grave. 

A mulher não foi ferida e saiu ilesa do atentado, praticado por Flávio Ricardo, contra José Edson, durante a vaquejada na cidade. A motivação da tentativa de homicídio, pode ser por razão de ciúmes, tendo em vista que Flávio Ricardo, visivelmente não aceitava que sua ex-companheira conversasse com alguém ou até tivesse relacionamento.

A reportagem do ASSÚ NOTÍCIA, também conseguiu apurar que a polícia militar da cidade, ou até mesmo do 10º BPM com sede em Assú, não recebeu nenhum comunicado oficial que haveria a realização do evento, para que os policiais militares de Triunfo Potiguar, tomassem conhecimento da realização do evento, para realizar patrulhamento ostensivo, e consequentemente evitar o ocorrido.

A guarnição de Triunfo Potiguar, só tomou conhecimento do evento, por terceiros e através de boatos. A guarnição foi até lá, e conferiu que o evento estaria acontecendo, sem nenhum comunicado oficial a PM.

Mesmo com a flexibilização dos eventos, é obrigatório que o idealizador do festejo, comunique por ofício num prazo de até 72 horas, a polícia militar através de ofício, sobre o evento, caso contrário, pode acarretar problemas administrativos contra o espaço, ou até mesmo ao promotor.

whatsapp