FALSO MÉDICO PRESO NO CEARÁ, TRABALHOU NO HOSPITAL DE PARAÚ; AFIRMAM PACIENTES

Da redação - Assú Notícia:
O policial Khlisto Sanderson Ibiapino de Albuquerque, de 34 anos, preso no interior do Ceará, se passou por médico em, pelo menos, três hospitais nas cidades de Paraipaba e Itapajé, no Estado onde houve a captura e no município de Triunfo Potiguar, no Rio Grande do Norte, que confirmou a atuação dele nesta quarta-feira 20 de julho.

A reportagem do ASSÚ NOTÍCIA veiculou à notícia neste meio de comunicação e logo depois, alguns pacientes que moram em Paraú, também confirmaram que o falso médico atendia na unidade de saúde do município, porém, o município até o momento não se posicionou.

Já na quarta-feira da semana passada, a Prefeitura de Triunfo Potiguar, cidade localizada a 258 km da capital de Natal, no Rio Grande do Norte, divulgou uma nota de esclarecimento informando que Khlisto também atendeu no Hospital Maternidade Etelvina Vieira de Melo, cobrindo o plantão de outros profissionais. Ele esteve no hospital em 2021.

É bem provável que o falso médico tenha tirado plantão em Paraú, no mesmo período que trabalhava em Triunfo Potiguar.
O falso médico, também trabalhou no hospital de Triunfo Potiguar, e de forma exata com à população, o município emitiu uma nota confirmando a atuação do falso médico na unidade, diferente de Paraú, que se esconde de assumir.

O ASSÚ NOTÍCIA conversou com duas pessoas que foram atendidas pelo falso médico, dentre elas, uma mulher que chegou na unidade, com problemas de pressão, foi prescrita à medicação pelo falso médico, que se passava por Dr. Thiago.

Um comerciante, também reconheceu o falso médico na cidade, e ficou surpreso quando o mesmo foi preso no Ceará. Todos acreditavam que o policial militar, seria médico.
Um paciente, que foi acometido com a covid-19 no ano passado, também foi atendido pelo falso médico, que o deu alta após o cumprimento das normas de isolamento.

Em um áudio recebido pelo ASSÚ NOTÍCIA, relata a atuação do falso médico no município. A paciente pediu para que não veiculasse o áudio. Aguardaremos que o município de Paraú se posicione e não negue que o falso médico atuou no município no ano passado.

whatsapp