EX-COORDENADOR DE ANÁLISES CRIMINAIS DO RN É INDICIADO POR TENTATIVA DE HOMICÍDIO

O ex-coordenador de Análises Criminais da Secretaria de Estado de Segurança Pública do Rio Grande do Norte (Sesed), Ivênio Hermes, foi indiciado por tentativa de homicídio após atirar contra um homem e duas crianças no dia 8 de novembro do ano passado, em Natal.
Imagens de uma câmera de segurança, utilizadas durante a investigação, mostraram o momento que Ivênio discute com as crianças, no bairro de Ponta Negra. Em outra cena, o pai dos meninos aparece no que seria um diálogo com o ex-coordenador. Uma imagem também destaca quando o especialista em segurança pública corre atrás das crianças.
Na confusão, Ivênio fez vários disparos de armas de fogo e acabou atingido a parede da casa das vítimas. Ninguém ficou ferido.
Naquele dia 8 de novembro, o delegado plantonista entendeu que teriam sido cometidos os crimes de ameaça e disparo de arma de fogo em via pública. A delegada titular da 15ª DP em Natal, Karen Lopes, assumiu o caso posteriormente e concluiu que se tratava de uma tentativa de homicídio contra as crianças e o pai delas.
"Em virtude das provas técnicas que foram anexadas aos autos, eu ouvi novamente as vítimas e ficou comprovado que houve uma discussão, primeiro com as crianças. Houve um crime de ameaça ali. Eles vão até a casa deles e contam ao pai que foram ameaçados, e depois retornam junto com o pai", falou a delegada.
Karen Lopes conta que os tiros partiram "do portão de pedestres da casa e ele (pai das crianças) não tinha nenhum local para se esconder" e que "foram ao menos 11 disparos contra essa família".
"Pela quantidade de disparos, o perito conclui que não é acidental. E como há uma imagem de uma perseguição a essas três pessoas, e depois tem mais duas lá dentro (da casa), a conclusão que a gente chegou foi que ele realmente atentou contra a vida de cinco pessoas, sendo duas crianças e um adolescente", finalizou.
Ivênio foi exonerado da Sesed dois dias após a prisão. Ele foi solto no dia 11 de novembro após o pagamento de fiança no valor de R$ 11 mil. Policial rodoviário federal aposentado, atualmente ele não exerce nenhum cargo público. G1RN

whatsapp