CPI DA COVID NO RN: DUAS TESTEMUNHAS FICAM EM SILÊNCIO E INVESTIGADO PEDE SESSÃO SECRETA

A CPI da Covid da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte teve mais uma reunião na tarde desta quarta-feira (10). A compra frustrada de respiradores pelo Consórcio Nordeste, que custou quase R$ 5 milhões ao Rio Grande do Norte, foi o tema central. Uma das três pessoas que estavam com depoimentos agendados pediu para que uma sessão secreta fosse realizada, com a promessa de que repassaria informações importantes sobre a aquisição dos equipamentos, segundo informou a ALRN.
Proprietário da BioGeoenergy, o investigado Paulo de Tarso Carlos tinha depoimento marcado para esta quarta-feira, mas solicitou uma sessão secreta. O presidente da CPI, Kelps Lima (Solidariedade), ouviu o investigado antes da sessão, discutiu sobre quais poderiam ser as informações repassadas e concordou com o pedido. "Vamos analisar o conteúdo e saber o que poderemos publicizar, mas somente após a análise", disse Kelps.
O gerente administrativo do Consórcio Nordeste, Valderir Cláudio de Souza, e o gerente de Finanças do Consórcio, Jesiel Soares da Silva, testemunhas no caso, obtiveram decisões judiciais e permaneceram em silêncio na sessão.
O secretário-executivo do Consórcio Nordeste, Carlos Gabas, também já havia ficado em silêncio quando foi interrogado na sessão do dia 6 de outubro da CPI da Covid. Ele conseguiu o direito de não responder às perguntas na Justiça.
A Bioenergy é investigada por relação com a Hempcare e possível acordo para fabricação de respiradores de baixo custo. Os equipamentos não chegaram a ser fabricados e entregues ao Consórcio Nordeste, assim como os respiradores que deveriam vir da China através da Hempcare também nunca chegaram. Ao todo, R$ 48,7 milhões dos estados do Nordeste foram recebidos e não devolvidos.
A CPI da Covid vai ouvir nesta quinta-feira (11) o diretor médico da Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap), Rafael Góis Campos, sobre a ampliação de leitos de UTI na rede hospitalar do estado na pandemia. Ele será ouvido na condição de testemunha. Além dele, Luiz Antônio Marinho da Silva, procurador-geral do Estado, vai comparecer à reunião para falar das ações adotadas pelo governo contra a pandemia. G1RN

whatsapp