QUEBRA DE SIGILO COMPROVAM MARIDO DA PREFEITA DE PARAÚ 'DAVA' GASOLINA PAGA PELA PREFEITURA

Parte da escuta telefônica apurada pelo Ministério Público - Conversa entre Vicente e outra pessoa
Da redação - Assú Noticia: Vicente Eufrásio, marido da prefeita de Paraú, Maria Olímpia, está preso em Natal, desde a última quarta-feira 05 de Maio de 2021, quando o Ministério Publico realizou a operação Sujeito Oculto, tendo o objetivo de desmoronar uma quadrilha que agia dentro da prefeitura para cometer desvio de recursos públicos.

As investigações começaram desde 2018, quando a então prefeita Maria Olímpia, venceu a eleição suplementar, e desde o primeiro dia do seu mandato, Vicente Eufrásio, era quem ditava regras e ordens na prefeitura. De lá em diante, o Ministério Público iniciou uma investigação para apurar diversas denuncias contra o marido da prefeita e outras pessoas que também são citadas no processo.

Em gravações de celulares de posse do Ministério Público, mostra que Vicente Eufrásio, autorizava ordem de combustíveis a torto e a direita para todo mundo, inclusive para pessoas irem passear em Natal. Ao fim das contas, todos os débitos em aberto no posto de combustíveis era em nome da prefeitura, e era pago com o erário público. 

Em uma das ligações, Vicente Eufrásio recebe uma ligação realizada no dia 21 de outubro de 2020, por volta das 16h47, com duração de 43 segundos, o investigado Vicente Eufrásio, recebe uma ligação de Luis, informando que vai com Emanoel e a mãe de Jaime para o médico, então ele solicita a Vicente Eufrásio, uma ordem de abastecimento para ir no carro dele (do solicitante), e não iria no da prefeitura. Vicente Eufrásio, logo responde que Luis pode ir no posto abastecer o carro.

Para o Ministério Público, todo esse esquema criminoso, era de ciência do então funcionário da prefeitura, Antônio Leodecio, responsável por liberar as ordens após autorização de Vicente Eufrásio. Os dois, já foram denunciados pelo ministério público para a justiça, por vários crimes, incluindo estelionato.

Merece reforçar, ainda, o fato de que Vicente Eufrásio, nas interceptações telefônicas realizadas em seus celulares, revelou preocupação em não falar sobre determinados assuntos por meio de ligações telefônicas, solicitando, em regra, para que as conversas fossem realizadas por meio do WhatsApp ou pessoalmente, o que denota a ciência do caráter ilícito do esquema. 

Extrato bancário, mostra que Vicente Eufrásio, recebia transferência em valores altos de contas de terceiros, principalmente de pessoas ligadas a empresas que ganharam licitação no município para prestação de serviço.

A reportagem conseguiu apurar oficialmente que Vicente Eufrásio está preso no Centro de Triagem, em Natal, onde deverá passar alguns dias e logo depois encaminhado para algum presidio no Rio Grande do Norte. Já referente a Antônio Leodecio, até o fechamento desta reportagem, não conseguimos apurar o local onde o mesmo encontra-se preso.


whatsapp