PRIMEIRO BEBÊ DE 2021 NASCEU COM SAÚDE NA MATERNIDADE ALMEIDA CASTRO EM MOSSORÓ, É DE ASSÚ

O primeiro bebê nascido na região Oeste do Rio Grande do Norte é do município de Assu. Nasceu de parto normal no Hospital Maternidade Almeida Castro, em Mossoró-RN.

No livro de registros, Gabriel Levi Oliveira Silva nasceu exatamente de 1h37 minutos da madrugada do dia 1º de janeiro de 2021. Nasceu com ótima saúde.
Os país Jéssica Priscilla de Oliveira Guedes e Bruno Eduardo Lima Silva são residentes em Assu. É o primeiro filho do casal, que diz está muito feliz com a chegada do Gabriel.
Ano passado, o primeiro bebê nascido no Hospital Maternidade Almeida Castro na região de Mossoró foi de Areia Branca. Antes, foi da cidade de Governador Dix Sept Rosado.
NO RN
Em Natal, o primeiro bebê a nasceu foi Marcelo Adryan às 0h02, antes, inclusive, do nascimento de Gabriel Levi, em Mossoró. Sendo assim, o primeiro do RN.
Adryan nasceu de parto normal na Maternidade Araken Pinto, no bairro do Tirol. A mãe Marcelly Cabral mora no bairro Quintas, zona oeste de Natal.
Marcelly Cabral já é mãe de gêmeas, de 5 anos, a Adryan se apressou um pouco. Estava previsto para nascer no dia 11, mas terminou vindo as contrações e o parto normal. (informação do GI)


Sobre a APAMIM/HMAC
O Hospital Maternidade Almeida Castro é gerido pela APAMIM, que está sobre intervenção federal. Também administra o Hospital São Luiz, para a campanha covid19.
A Justiça Federal decretou a intervenção judicial na APAMIM, após denúncias de vários órgãos de fiscalização do funcionamento precário da instituição, chegando a fechar.
Após assumirem a instituição por liminar, em outubro de 2014, os interventores, tendo à frente Larizza Queiroz, foram abrindo os leitos gradativamente. Começaram com 30.
Atualmente, o HMAC conta com mais ou menos 180 leitos, sendo que 17 de UTI neonatal, 15 de berçário, 18 de canguru, e também 9 leitos de UTI adulto.
Atualmente são em média 50 bebes internados. Registra mais ou menos 20 partos ao dia, sendo que deste total, 25% nascem prematuros ou com baixo peso.
A APAMIM, que gere o HMAC, é custeada com recursos do SUS e contrapartidas previstas em lei da Prefeitura Municipal de Mossoró e do Governo do Estado.
Sentença
Há poucos dias, o juiz Orlan Donato Rocha, da Justiça Federal, confirmou a liminar da intervenção judicial e decidiu dissolver, em definitivo, o quadro societário da APAMIM.
Determinou que os interventores terão 2 anos, a contar do dia 5 de janeiro de 2021, para criar uma nova associação, terminar de o rombo de dezenas de milhões e entregar o controle. - Mossoró Hoje

whatsapp